Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Disso Você Sabia ? 2

Noticias que você não ouve ou vê na mídia. Até que ponto nos contaram é verdade?,

Noticias que você não ouve ou vê na mídia. Até que ponto nos contaram é verdade?,

Gilmar Mendes evita golpe de Dilma que queria R$ 100 milhões para blogueiros à serviço do PT

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, concedeu  uma liminar que suspende o efeito da Medida Provisória  presidente Dilma Rousseff fez publicar na sexta-feira, 29. Na Medida nº 722, Dilma solicitava a abertura de créditos extraordinários no valor de R$ 100 milhões que seria usados em propaganda.[right-post]

A medida havia levantado suspeitas de que Dilma teria solicitado o crédito extraordinário para repassar aos sites e blogs controlados por simpatizantes do PT, faltando pouco mais de dez dias para ser afastada da presidência. Os sites e blogs fazem parte da chamada "esgotosfera", o lixo do submundo petista na internet. Todos financiados com dinheiros do contribuinte.

O legado de Dilma: 11 milhões de desempregados, déficit R$ 100 bi e nome do Brasil na lama

A presidente Dilma Rousseff deixa o comando do país na primeira quinzena deste mês de maio e deixa um legado de devastação sem precedentes na história. O Brasil foi mergulhado numa colossal crise econômica em tempo recorde por Dilma, que deixa como legado de seus dois últimos anos à frente do governo cerca de 200 mil empresas falidas , 11 milhões de desempregados e um déficit nas contas públicas de mais de R$ 100 bilhões.[right-post]

Para piorar a situação de seu sucessor, que assumirá o comando do país praticamente sem margem para tentar recuperar a economia, Dilma ainda adotou a política da "terra arrasada" em seus últimos dias de governo. Em uma ação coordenada entre ela, o PT e os membros remanescentes de sua pequena base aliada, Dilma e sua equipe estão agindo em conjunto para detonar o orçamento e sabotar a administração pública, visando dificultar a vida de seu sucessor. A ação de Dilma e de seus aliados vingativos é deliberada e meticulosamente planejada. O objetivo é deixar as gavetas vazias, ocultar números e informações valiosas para a próxima gestão, além de tentar torrar cada centavo que conseguir do orçamento.

Geração do diploma: queda na qualidade do ensino superior da era PT preocupa empregadores

Executivos das maiores empresas de recursos humanos no Brasil apontam que ocorreu uma queda significativa na qualidade do ensino superior desde 2001. Pesquisas encomendadas indicam que de 2001 a 2011, a porcentagem de universitários plenamente alfabetizados caiu 14 pontos - de 76%, em 2001, para 62%, em 2011. A expectativa do setor é a de que este índice aumente na próxima amostragem sobre o período de 2012 a 2015/6.[right-post]

O site da BBC Brasil publicou uma matéria onde aborda o tema em profundidade. O artigo destaca que "A decepção do mercado com o que já está sendo chamado de "geração do diploma" é confirmada por especialistas, organizações empresariais e consultores de recursos humanos"

O sociólogo e especialista em relações do trabalho da Faculdade de Economia e Administração da USP, José Pastore, confirma esta tendência: "Os empresários não querem canudo. Querem capacidade de dar respostas e de apreender coisas novas. E quando testam isso nos candidatos, rejeitam a maioria" alerta Pastore, que confirma que " explosão de escolas superiores não foi acompanhada pela melhoria da qualidade. A grande maioria das novas faculdades é ruim".

A situação da educação no país preocupa empresários, meio entre o qual já são lugar-comum relatos de administradores recém-formados que não sabem escrever um relatório ou fazer um orçamento, arquitetos que não conseguem resolver equações simples ou estagiários que ignoram as regras básicas da linguagem.

A reportagem da BBC aponta que existem no Brasil nos dias de hoje 2.416 estabelecimentos de ensino superior, sendo que a maioria, 2.112, são instituições particulares. O critério dos governos do PT sobre as concessões para as instituições de ensino teve foco apenas na quantidade e não na qualidade. A ideia era a de fazer marketing ao misturar os dados de pessoas que tiveram acesso ao ensino superior nas instituições públicas e privadas para exibir um maior "volume". 

A especialista do setor,  Márcia Almstrom, do grupo Manpower, explica que "Mesmo com essa expansão do ensino e maior acesso ao curso superior, os trabalhadores brasileiros não estão conseguindo oferecer o conhecimento específico que as boas posições requerem".

O professor de educação e desenvolvimento da Universidade de Londres, Tristan McCowan, estuda o sistema educacional brasileiro. Segundo McCowan, muitos cursos universitários no Brasil não deveriam ser classificados como tal.

"São mais uma extensão do ensino fundamental", diz McCowan. "E o problema é que trazem muito pouco para a sociedade: não aumentam a capacidade de inovação da economia, não impulsionam sua produtividade e acabam ajudando a perpetuar uma situação de desigualdade, já que continua a ser vedado à população de baixa renda o acesso a cursos de maior prestígio e qualidade."

O artigo da BBC oferece uma radiografia bastante clara sobre a queda na qualidade do ensino superior no país ao longo dos anos de governos do PT. Talvez este seja apenas mais um, entre os muitos desafios a serem vencidos pelso próximos governantes do país.

Via: http://www.imprensaviva.com/2016/05/geracao-do-diploma-queda-na-qualidade.html

Ameaças catastróficas!

As ameaças catastróficas que poderemos enfrentar nos cinco próximos anos 
O Projeto de Prioridades Globais da Universidade de Oxford (no original, “Global Priorities Project”) compilou uma lista de catástrofes, naturais e autoinfligidas, que poderiam matar 10% ou mais da população humana.
A lista também indica a probabilidade destas catástrofes acontecerem dentro dos próximos cinco anos.
Os riscos mais prováveis incluem guerra nuclear e pandemias (naturais e artificiais), seguidos por desastres decorrentes das mudanças climáticas, geoengenharia e inteligência artificial.
O relatório também abarcou eventos de baixa probabilidade, mas alto impacto, como asteroides e erupções supervulcânicas.

Podem acontecer

O Projeto de Prioridades Globais define um risco catastrófico global como “eventos ou processos que levariam à morte de cerca de um décimo da população do mundo, ou que tenham um impacto comparável”.
Estes riscos são qualitativamente distintos de riscos existenciais, graves o suficiente para acabar com todos os seres humanos, ou seja, levar a nossa extinção.
Embora não sejam tão apocalípticos, riscos catastróficos ainda possuem consequências globais graves.
O pesquisador Sebastian Farquhar e seus colegas advertem que alguns destes perigos são mais propensos a acontecer do que imaginamos, mas os governos não estão fazendo o que é necessário para mitigar os riscos, ou controlá-los em caso de realmente acontecerem.

Porque já aconteceram

Riscos catastróficos globais são raros, mas ocorrem. Por exemplo, a praga de Justiniano de 541-542 dC matou até 17% da população do mundo. Mais recentemente, a gripe espanhola de 1918-1919 matou 10% da população do mundo, o que superou o número de mortos da Grande Guerra que a precedeu.
Estes eventos são improváveis de acontecer em qualquer década, o que explica por que tendem a receber pouca atenção.
pandemiaas

Mais e menos prováveis

Os pesquisadores acreditam que os riscos mais prováveis para os próximos cinco anos são pandemias naturais, guerra nuclear e pandemias artificiais, além de riscos ainda desconhecidos. Os menos prováveis são catástrofes por mudança climática, por inteligência artificial, por falha de geoengenharia, por impacto de asteroide e por erupção de um supervulcão.
De fato, as chances de impacto de asteroide ou erupção supervulcânia são extremamente pequenas – por exemplo, as chances de um asteroide colidir com a Terra é de cerca de 1 em 1.250 para cada século, enquanto supervulcões entram em erupção cerca de uma vez a cada 30.000 a 50.000 anos.
Por outro lado, as pandemias naturais e causadas por seres humanos são, definitivamente, de alto risco e probabilidade. Nossa civilização globalizada está espalhando doenças mais rápido do que nunca, e nossas biotecnologias estão criando mutações (como do vírus da gripe H5N1). Tecnologias como CRISPR – ferramenta de edição de genes que é barata e fácil de usar -aumentam a chance de um grupo com intenções violentas, como Estado Islâmico, transformá-las em uma coisa horrível.

Soluções

Para lidar com esses problemas iminentes, os autores do relatório propõem uma série de soluções, incluindo tratados de não proliferação nuclear, aumento do planejamento para lidar com pandemias graves, esforços para reduzir as emissões de carbono e investigações sobre os riscos colocados por inteligências artificiais e biotecnologias

Copiado de: http://hypescience.com/estas-sao-as-catastrofes-mais-graves-que-humanidade-pode-ter-que-enfrentar-em-breve/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29

STF barra crédito extra de 100 milhões de reais para publicidade do governo

O ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF) barrou em decisão liminar um crédito extra de 100 milhões de reais que seriam destinados à Presidência da República para fins publicitários, segundo o site do jornal Folha de S. Paulo.
A decisão foi proferida numa ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo partido Solidariedade, que questionou o teor da Medida Provisória 772, publicada pelo governo na última sexta-feira.

Sigam-me

Paginas

INSCREVER-SE

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

DISSO VOCÊ SABIA ? - REVISTA

View my Flipboard Magazine.

ULTIMAS NOTÍCIAS

Saiba o que acontece no Brasil e no Mundo


Mensagens

A

A2