Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Disso Você Sabia ? 2

Noticias que você não ouve ou vê na mídia. Até que ponto nos contaram é verdade?,

Noticias que você não ouve ou vê na mídia. Até que ponto nos contaram é verdade?,

EVO MORALES PEDE REUNIÃO URGENTE DA UNASUL NO BRASIL PARA DEFENDER DILMA E LULA

O presidente da BolíviaEvo Morales, pediu neste sábado (19) ao colega Tabaré Vázquez, do Uruguai, país que exerce a presidência temporária da Unasul, que convoque uma reunião de cúpula de emergência no Brasil, para defender a presidente Dilma Rousseff e seu antecessor Luis Inácio Lula da Silva.

"Alguns presidentes da América do Sul deveriam fazer uma reunião de emergência da Unasul no Brasil para defender a democracia naquele país, para defender Dilma, para defender a paz, para defender o companheiro Lula e todos os trabalhadores", disse Morales em um ato público.

"Oxalá o irmão presidente da Unasul, doutor Tabaré Vázquez, nos convoque rapidamente ao Brasil para expressar nossa solidariedade e evitar qualquer golpe do Congresso ou judicial. Este é o nosso grande desejo."

Morales, um aliado de Dilma e Lula, a quem chamou várias vezes, no passado, de irmão mais velho, afirmou ontem que a direita brasileira quer tomar o poder através de um golpe e frustrar uma eventual intenção de Lula de concorrer novamente à presidência.

Outros países, como Uruguai, Venezuela e Equador, mostraram publicamente apoio à presidente brasileira, enquanto o secretário-geral da Unasul, o colombiano Ernesto Samper, expressou a Lula solidariedade e afirmou que o ex-presidente é vítima de um "linchamento midiático".

O presidente boliviano também mostrou preocupação com a situação na Venezuela, onde afirmou que os Estados Unidos preparam "um golpe ou uma intervenção militar".

"Tenho muito medo. Se houver golpe de Estado, novamente os trabalhadores irão se organizar em guerrilhas, haverá confrontos armados. Quem perde? O povo", disse.


Fonte: G1 e ocorreiodedeus.com.br

Via: http://www.libertar.in/2016/03/evo-morales-pede-reuniao-urgente-da.html

MARIA DO ROSÁRIO DEFENDE MACHISMO DE LULA E É HUMILHADA EM RÁDIO

Maria do Rosário é moralmente repugnante mesmo. Faz chilique contra adversários com falsas acusações de machismo, mas esconde fatos claros de machismo cometidos por Lula.

Veja o que diz o Canal da Direita:

Durante entrevista, Maria Do Rosário Nunes tenta justificar machismo de Lula e faz radialista perder a paciência AO VIVO.PF flagrou Lula planejando usar feministas do PT para atacar adversários. A gravação ainda mostra o ex-Presidente chamando as feministas de “mulheres do grelo duro”. A deputada, conhecida por acusar Jair Messias Bolsonaro de ser machista, foi entrevistada sobre o ocorrido e saiu em defesa do líder petista. Nem o radialista, de esquerda, aguentou a hipocrisia da parlamentar que se diz defensora das mulheres. No final, ele bota Rosário pra correr.

E prestem atenção! O radialista é de extrema-esquerda. Ouça:


A regra aqui é aquela defendida por Alinsky: “faça seu adversário sucumbir pelo seu próprio livro de regras”.

Convenhamos: está fácil derrubar os petistas com essa tática.

Fonte: (14) Lula ofende feministas do PT e é defendido por… – Canal da Direita e http://lucianoayan.com/

Decisão do STF sobre a posse de Lula e o apoio da OAB ao impeachment abrem o sepulcro do governo do PT

Seguindo à risca a cartilha da cúpula petista, a presidente Dilma Rousseff, que está por um fio no cargo, voltou no tempo para colocar em cena o seu viés de integrante da luta armada, quando – sob os codinomes de Estela, Wanda, Luiza e Patrícia – enfrentava a qualquer preço o regime militar. Assim a presidente está agindo em relação a Sérgio Moro, responsável na primeira instância do Judiciário pelos processos da Operação Lava-Jato, que vem sendo duramente criticado e alvo de calúnias esculpidas com o cinzel da covardia e sobre a bancada do desespero, para, como último golpe, enganar mais uma vez a população incauta.
Dilma insiste em afirmar em seus discursos que a interceptação de seu dialogo criminoso com Lula fere a Constituição Federal e coloca em risco a segurança nacional, assim como da Presidência da República. É importante salientar que se algum risco existe de fato, esse é decorrente do banditismo político praticado pelo partido do governo. Os cofres públicos são saqueados aos bolhões, mas os ladravazes exigem o silêncio conivente do cidadão de bem. Dizem que isso é democracia, o resto é golpe.

PORTUGAL MANDA NOVO RECADO AO BRASIL “SE VOCÊS NÃO PRENDEREM LULA, NÓS IREMOS FAZER”

Portugal comunica de forma oficial a Suprema Corte do Brasil que LULA poderá ser preso caso a justiça do Brasil não tome as devidas providencias. “LULA tem que pagar pelo que fez”

As autoridades policiais que investigam o negócio Oi-PT, celebrado em 2010, suspeitam que os movimentos financeiros que terão facilitado as autorizações políticas necessárias ao acordo de telecomunicações luso-brasileiro partiram das construtoras accionistas da operadora paulista, após terem recebido parte do dinheiro devido pela operadora portuguesa, no valor de 1200 milhões.

Os últimos meses têm sido de grande azáfama para a Polícia Federal, que procura desmontar a teia de corrupção e de lavagem de dinheiro urdida à volta da cúpula política brasileira. Um escândalo conhecido por “Lava-Jato” (que se centra à volta de Lula da Silva) e que derivou para outras averiguações que se desenrolam em paralelo, uma delas com um elo luso-português: o negócio entre a PT e a Oi.

As investigações que hoje decorrem no Brasil e em Portugal, de modo autónomo, mas com canais abertos, já deixam levantar a ponta do véu sobre possíveis pagamentos de várias dezenas de milhões de euros ao universo restrito do ex-Presidente da República Lula da Silva, bem como a ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses. Movimentos financeiros que as autoridades suspeitam poderem ter saído de veículos internacionais ligados aos accionistas da Oi, encabeçados pela construtora Andrade Gutierrez, através de territórios como Angola (onde opera também via Zagope) e Venezuela.

O presidente da Andrade Gutierrez é réu no processo Lava-Jato, sendo-lhe atribuídos os crimes de corrupção, de lavagem de dinheiro e de organização criminosa. Otávio Azevedo é considerado a cabeça da engrenagem que possibilitou o acordo entre a PT e a Oi em Julho de 2010. Um negócio que necessitou de múltiplas autorizações políticas dos dois lados do Atlântico e que começou a ser preparado no final de 2007 como resposta à intenção firme da Telefónica de adquirir os 50% da brasileira Vivo que estavam nas mãos da PT e que era o motor de crescimento da empresa portuguesa.

À procura de pistas
Este é um dossier que está a ser seguido pelas polícias brasileiras e portuguesas, que tentam apanhar o fio à meada. O PÚBLICO sabe que, a partir da documentação e de emails apreendidos, de escutas telefónicas e de depoimentos recebidos de viva voz, as autoridades têm procurado reunir provas para determinar estilos de actuação que se repetem, estratégias que não sejam meras coincidências. No actual cenário de maior sofisticação da criminalidade financeira, a recolha de prova directa encontra-se muito dificultada, pois o objectivo é detectar uma simultaneidade entre movimentos de dinheiro e a deslocação dos interesses no terreno, que, conjugadas com outros elementos, permitam dar consistência às suspeitas e indícios.

Hoje, é do conhecimento geral que há inquéritos em curso confirmados pelos ministérios públicos de ambos os países relacionados com a abrangência dos contactos que se estabeleceram entre os círculos próximos do ex-Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e os do ex-primeiro-ministro José Sócrates. A Procuradoria-Geral da República já informou que as autoridades brasileiras pediram “a cooperação judiciária”, mas não avançou detalhes.


Na lista de acções policiais consta o raide à sede da PT, em Janeiro de 2015 AFP/PATRICIA DE MELO MOREIRA

Na lista de acções policiais consta o raide à sede da PT, na Avenida Fontes Pereira de Melo, em Janeiro de 2015, para recolher dados sobre os negócios com a Oi. E, no início de Setembro, o semanário Sol revelou que na casa de Luís Oliveira Silva, sócio e irmão de José Dirceu, o antigo homem forte de Lula da Silva, a Polícia Federal apreendeu um documento com uma anotação sobre a “Portugal Telecom”.

A malha aperta-se, portanto, à volta da actuação da empresa nacional nos últimos anos e dos seus principais gestores e accionistas, alvo de vários processos judiciais. O mês passado ficou a saber-se que a operaçãoMarquês(que tem no epicentro José Sócrates, Armando Vara, Carlos Santos Silva) se alargou à oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela Sonae, em 2006, sobre a PT. Recentemente, o Diário de Notícias informou que o Ministério Público ouviu, a 22 de Setembro, o presidente da Sonae, Paulo Azevedo, na qualidade de testemunha.

Em causa estão os trâmites que envolveram o chumbo da OPA na assembleia geral de 2 de Março de 2007 e que forjou uma aliança entre accionistas da PT, encabeçada pelo BES e pela Ongoing, e o Estado. Depois de na fase inicial ter dado sinal de que apoiava a OPA, Sócrates acabaria por recomendar à Caixa Geral de Depósitos, que tinha como vice-presidente Armando Vara, para se abster na decisão, o que ditou o fim da oferta. Daí ser previsível que o MP procure encontrar uma ligação do voto do banco estatal a possíveis movimentos de dinheiro.

O início do negócio
No entanto, foi no seguimento desta operação que se deu a aproximação à Oi. A Telefónica, grande accionista da PT, tinha celebrado um pacto secreto com a Sonae: caso a OPA vencesse, venderia os 50% da Vivo nas mãos da PT. Acossado pela “traição”, o núcleo duro da PT (BES-Ongoing) começou a procurar um novo acelerador de crescimento no Brasil.

Data desta época o discurso do então presidente da PT, Henrique Granadeiro, a defender a criação de um operador transatlântico de língua portuguesa, como alternativa à Vivo. Sabe que a Vivo irá, mais tarde ou mais cedo, parar às mãos da Telefónica. O plano levá-lo-á diversas vezes a São Paulo, onde mantém reuniões com velhos conhecidos. Um deles foi Otávio Azevedo. Em 1998, a Andrade Gutierrez (28%) apareceu associada à PT no consórcio para comprar a Telesp Celular (que dará origem à Vivo), ao lado da Telefónica (19%). Mas antes de a privatização estar concluída a construtora saltou fora.

Oito anos volvidos os caminhos da PT e da Gutierrez voltam a cruzar-se. Otávio Azevedo assumirá um papel fulcral nas conversações que daí em diante se desenrolam. Começava a ser preparado o embrião da operação PT-Oi que será anunciado quatro anos depois.

Em simultâneo, Granadeiro movia-se junto das altas esferas do Governo brasileiro para encontrar aliados. A 8 de Junho de 2007, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, declarou publicamente ser favorável ao projecto da PT e deu garantias de empenho junto de Lula da Silva para que este recebesse de “braços abertos” a ideia “defendida por Henrique Granadeiro”.

Foi neste contexto que o ex-Presidente da República Mário Soares foi sondado pela PT, para ajudar a criar pontes com o Presidente Lula. E é Soares que aconselha Granadeiro a procurar o escritório de advocacia Fernando Lima, João Abrantes Serra e José Pedro Fernandes, a LSF & Associados. O gabinete é sócio no Brasil de José Dirceu, o líder petista conhecido como facilitador de negócios, a quem a LSF chegara anos antes por via de José Pedro Fernandes. Mas será Abrantes Serra a apresentar Dirceu a Nuno Vasconcelos e a Rafael Mora, da Ongoing (e a Miguel Relvas). Dirceu, que surgiu nos epicentros dos grandes escândalos que rebentaram no Brasil (“mensalão”, Lava-Jato e “petrolão”), é classificado pela Polícia Federal como o “chefe da quadrilha”. Dirceu contesta e diz que é vítima de perseguição política.

Passado pouco tempo na folha de avenças mensais da PT começa a constar o nome do escritório de advocacia LSF & Associados com facturações mensais de 50 mil euros. Quando detecta os movimentos, Luís Pacheco de Melo, ex-administrador financeiro da PT, questiona Granadeiro, mas o CEO avisa-o que existe um acordo para cumprir – o que não impede o ex-CFO da PT de suspender as avenças, mas não evita a entrega à LSF de 200 mil euros. A colaboração da LSF-Dirceu com a PT foi confirmada ao PÚBLICO pelos protagonistas.


O PÚBLICO pediu aos principais responsáveis envolvidos neste dossier para comentarem informações ou prestarem esclarecimentos, mas todos declinaram. Pacheco de Melo alegou não ter disponibilidade para o fazer por estar a viver fora de Portugal (é o novo administrador financeiro da Mota Engil na América Latina), enquanto Henrique Granadeiro optou por sublinhar que estão a decorrer vários processos judiciais envolvendo a ex-PT (agora Pharol) pelo que tem dever de sigilo.

Um dos visitantes mais assíduos de Ricardo Salgado (hoje em prisão domiciliária no âmbito do caso Monte Branco, que investiga o maior caso de crimes de branqueamento de capitais) será Otávio Azevedo, que tem casa em Lisboa. Entre o final de 2007 e o começo de 2011, há registo de várias idas à sede do BES, para manter reuniões com o banqueiro. Por vezes, aparecem Nuno Vasconcellos e Henrique Granadeiro. Era o início da preparação da parceria PT-Oi, que será monitorizada pelo Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, tutelado por Mário Lino (próximo de Sócrates). O seu chefe de gabinete, Luís Ribeiro Vaz, tem grande proximidade do núcleo duro da PT. António Cunha Vaz, que trabalhou com a Sonae na OPA, relatou em 2012 ao PÚBLICO: “Ouvi Ribeiro Vaz contar que uma parte do dia estava no gabinete de Mário Lino [com quem Azevedo discutia os detalhes da OPA] e a outra com a Ongoing a montar a estratégia contra a OPA.”

Após o escândalo “mensalão” (ligado à compra de votos de parlamentares brasileiros entre 2005 e 2006), começa a procura de novas fontes de rendimento. No final de 2008, chegava a Lisboa José Dirceu, coincidindo com a visita de Lula da Silva, que está em viagem oficial.

As grandes operações a necessitar de autorizações estatais estão, por vezes, reservadas a quem paga comissões. E à Avenida Fontes Pereira de Melo, sede da PT, vai chegar a informação de que o negócio com a Oi está condicionado à entrega ao grupo petista de 50 milhões de euros, verba que deve ser movimentada por uma conta em Macau. Sem pagamento, não haverá parceria.

Na PT torce-se o nariz e o ex-CFO Pacheco de Melo declara que as avaliações técnicas à Oi não o convenceram. E não há acordo quanto aos termos da transacção. A primeira tentativa de junção da PT-Oi não será bem sucedida, o que não impediu que as portas continuassem abertas a um entendimento.
Telefonica conseguiu ficar com os 50% que a PT detinha na Vivo NACHO DOCE

Enquanto tudo isto se passa, a Telefónica prosseguia o seu objectivo de adquirir os 50% que lhe faltam da Vivo. E procura apoio junto de Abrantes Serra e da consultora Oliveira e Silva & Associados. Esta empresa, ligada a Dirceu e ao irmão Luís Oliveira Silva, foi identificada pela Polícia Federal como suspeita de intermediar pagamentos ilícitos a terceiros, com cobrança de comissões em grandes transacções.

No primeiro semestre de 2010, a banca portuguesa, que apostara no financiamento em larga escala, contando com o fácil acesso aos mercados, com baixas taxas de juro, dá por terminado o ciclo favorável. E, sabe-se agora, que no BES havia contas para pagar.

Por volta de Abril são reabertos os contactos com a Oi. E Salgado, Vasconcellos, Granadeiro e Otávio Azevedo voltam a juntar-se em Lisboa para ultrapassar o impasse. Em comum têm problemas para resolver: o BES enfrenta restrições financeiras, a Ongoing tem dívidas de quase 800 milhões, a PT quer encontrar um substituto para a Vivo, a Oi está alavancada no banco estatal BNDES.

Mas no Brasil falta dar um empurrão ao acordo PT-Oi. Para impor umdeadline, a Telefónica antecipa-se e oferece à PT, a pronto pagamento, 7,15 mil milhões de euros por 50% da Vivo.

Quando, finalmente, a Telefónica dá o passo em frente, a administração da PT anuncia que levará a proposta à assembleia geral (AG) de 30 de Junho de 2010 com recomendação positiva. O Estado tem uma golden share(acções com direitos especiais) e José Sócrates veta a operação com o argumento de que só a autorizará depois de a operadora lhe apresentar uma alternativa no Brasil.


Após a fusão com a Oi, a PT Portugal acabou por ser vendida aos franceses da Altice, alterando o modelo de negócio inicial NACHO DOCE

O foco da AG sofre uma reviravolta que surpreendeu a maioria dos presentes. Sobre este incidente há opiniões: os grandes accionistas e gestores da PT foram apanhados desprevenidos; o veto de Sócrates foi concertado com o núcleo duro da PT para criar dificuldades e obrigar a acelerar o fecho do negócio.

Conversas entre Lula e Sócrates
Nos dias seguintes multiplicam-se as conversas entre Lula e Sócrates e os entendimentos entre a PT e a Oi. Movimentações que se tornam claras quando, a 8 de Julho, José Dirceu surgiu em Lisboa a dar uma entrevista aoDiário de Notícias: “Sempre defendi a fusão da Oi com a Brasil Telecom ou com uma empresa como a PT.” Na altura, fonte não oficial da PT inquirida sobre o que veio fazer Dirceu a Portugal, foi taxativa: “Nunca trabalhámos com os escritórios de Dirceu no Brasil, mas não podemos garantir que os accionistas não o tenham feito.”

Dias depois o jornal Folha de São Paulo avançava que Brasília “articula uma operação para que a Oi e a PT virem sócias”. E refere: Lula da Silva e José Sócrates já trataram do assunto. Ora, Otávio Azevedo é um homem de muitas conexões políticas. O BNDES, o banco estatal brasileiro presidido por Luciano Coutinho, detém 5% da Oi, e está agora a ser alvo de averiguações por contratos de financiamentos suspeitos, nomeadamente com Angola. Outro investidor da Oi é o Pactual, liderado por André Esteves, que é o banco de investimento da Andrade Gutierrez. Quer Luciano Coutinho, quer André Esteves são figuras do círculo de Lula da Silva.

A 27 de Julho de 2010 é anunciado fumo branco. A Telefónica vai pagar pelo controlo da Vivo 7,5 mil milhões (sobe o preço para o Estado salvar a face, mas o valor será liquidado em três tranches) e a PT aceita adquirir 23% da Oi por 3,75 mil milhões, dos quais dois terços se destinarão a aumentar o capital da operadora paulista. A restante parcela, 1,2 mil milhões, será partilhada pelos accionistas.

Os acordos finais vão continuar a exigir reuniões no BES e na PT. E sempre à porta fechada. O pacto definitivo será celebrado a 26 de Janeiro de 2011, enquanto os pagamentos da PT à Oi só ficarão concluídos nos meses seguintes.

As autoridades suspeitam agora de eventuais verbas ilícitas entregues ao grupo de Lula da Silva e a políticos e gestores portugueses. E os indícios apontam para uma origem na parcela de 1,2 mil milhões, com o Ministério Público a querer saber quem deixou a sua assinatura.

O negócio PT-Oi parecia ser a combinação perfeita, mas produziu escândalo e transfigurou-se, seja pela diminuição do peso dos accionistas nacionais na Oi (por via do impacto do BES), seja pela venda da PT Portugal aos franceses da Altice. A ligação promíscua ao seu accionista emblemático, o BES, revelou-se fatal para a PT. E, quando o GES ruiu, foi obrigada a contabilizar uma perda de quase mil milhões de euros que se traduziu no fim do grande projecto luso-brasileiro. E levou às demissões de Granadeiro e Zeinal Bava.

A 19 de Junho, o juiz Sérgio Moro deu ordem de prisão a Otávio Azevedo, por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa para fraudes em licitações milionárias da Petrobras entre 2004 e 2014, com depósitos no exterior.

A defesa do ex-administrador da PT (Azevedo foi nomeado administrador em 2011), em representação da Oi, contestou e alegou que o gestor era presidente da holding Andrade Gutierrez, com funções de representação institucional e que “nunca teve conhecimento da dinâmica comercial e operacional” da construtora. O juiz respondeu que tem provas significativas dos crimes e manteve-o preso.

O Ultimo comunicado do Brasil foi enviado ontem, dia 19/03/2016, dando prazo de 72 horas para uma posição concreta no que trata “Prisão do ex-presidente LULA”

Novo ministro da Justiça diz que trocará equipe da PF em caso de vazamentos ilegais

O novo ministro da Justiça, Eugênio Aragão, afirmou que trocará a equipe inteira de uma investigação em caso de vazamento ilegal de informações. "Cheirou vazamento de investigação por uma agente nosso, a equipe será trocada, toda. Não preciso ter prova. A Polícia Federal (PF) está sob nossa supervisão", afirmou em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, na sexta feira.
Na entrevista, o ministro empossado na última quinta-feira nega ter intenção de influenciar na Operação Lava Jato, da qual a PF é parte central. O antecessor de Aragão, o atual advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, sempre foi criticado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por não "controlar a PF."
De acordo com ele, o método com que as delações premiadas são negociadas na operação atual é uma "extorsão". Além disso, minimizou as declarações de Lula em grampos telefônicos.

BRASIL À BEIRA DO CAOS



Os últimos acontecimentos na política brasileira tem acirrado os ânimos do povo que agora, depois da nomeação do ex-presidente Lula, cobra com mais severidade, o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Depois das manifestações do dia 13/03/2016, a resposta do governo é justamente o oposto do que o povo esperava. agravando ainda mais a situação da mandatária brasileira. Por meio de uma liminar, um juiz federal suspende a posse do recém-nomeado Luiz Inácio Lula da Silva, à chefia da casa civil. Agora, só nos resta esperar o desenrolar dos próximos acontecimentos.

Exclusivo Lula comandava o esquema


Senador Delcídio do Amaral antecipa a segunda parte de sua delação e detalha como o governo vazava operações da Lava Jato. Confira os destaques da última edição de VEJA.

A misteriosa base que a China está construindo na Patagônia argentina

Depois de um polêmico acordo com o país sul-americano, o gigante asiático está construindo sua terceira e "mais moderna estação interplanetária e a primeira fora de seu próprio território" em Paraje de Quintuco, na província de Neuquén, no coração da região.
A base é parte do Programa Nacional da China de Exploração da Lua e Marte.
A chamada "Estação Espacial Distante" deve começar a operar no final de 2016, de acordo com o cronograma oficial.
Mas a instalação da base, que inclui uma poderosa antena de 35 metros para pesquisas do "espaço profundo", está cercada de polêmica, mistério e suspeitas.

40 Bilhões nas mãos de LULA. GOLPE de DILMA passou despercebido da grande mídia.


A Presidente, por meio de um Decreto EXTRA, retirou do Ministério do Planejamento o PAC, programa de aceleração do crescimento, e colocou sob responsabilidade da Casa Civil. Com a ação, que ao  mesmo tempo é sutil e gigantesca, Dilma joga nas mãos de Lula mais de 40 bilhões de reais.



Moro: o juiz das investigações que podem mudar o Brasil

Na contramão da indignação popular dos últimos dias, contra a presidente Dilma Rousseff e o agora o ministro da Casa Civil, Luis Inácio Lula da Silva, o juiz Sérgio Moro recebeu apoio e tratamento de herói. Com faixas “Somos todos Moro” e máscaras com o rosto do juiz em algumas cidades, a população dá aval às investigações lideradas por ele. Mas quem é o juiz que desafia a corrupção? Sérgio Moro é juiz titular da vara federal especializada em lavagem de dinheiro e crime organizado de Curitiba. Também atuou como juiz auxiliar do STF, em 2012. Recentemente, Moro ganhou notoriedade exatamente ao assumir as deliberações da Operação Lava Jato. 

Dilma evoca até Lei de Segurança Nacional, que ela reclama ser da ditadura militar, contra juiz Moro

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Dilma Rousseff, Presidenta sem noção, cometeu ontem uma gravíssima gafe democrática. Sempre crítica oportunista da "dita-dura militar", aproveitando a entrega de casas populares para 1600 pessoas em terras baianas, Dilma teve o cinismo ideológico de evocar a Lei de Segurança Nacional contra o juiz Sérgio Moro: "A não ser que a Suprema Corte autorize, não sou passível de grampo. Se não, fere frontalmente a Lei de Segurança Nacional (LSN), que protege o Presidente".

A esquerda sempre criticou a LSN, pregando que ela estaria anulada pela Constituição de 1988. Ontem, Dilma ressuscitou oficialmente a LSN. E, pior ainda. citou-a para fazer uma ameaça escancarada a Moro. A mesma tática ofensiva já tinha sida usada pelo Advogado Geral da União, José Eduardo Cardozo: 
 "Por duas razões objetivas: a presidenta da República tem foro privilegiado e, além disso, pela nossa legislação a questão do sigilo telefônico de um chefe de Estado, um chefe de governo, é questão de segurança nacional”.

Novamente, sempre que convém, a petelândia age de forma contraditória e paradoxal. Se a máquina estatal é usada por eles para ferrar os adversários ou inimigos, tudo é legal e legítimo. Se ocorre o contrário, quando o petismo e seus dirigentes são alvos, eles reclamam da existência das tais "gestapos tupiniquins". Nesta segunda linha, Dilma foi verbalmente truculenta contra Moro. A presidenta advertiu que, em países democráticos, quem grampeia sem a ordem judicial da suprema corte, termina preso. Para um bom entendedor, meia ameaça basta:

"Quero falar do fato grave que aconteceu. A dona Marisa, mulher do presidente, estava doente e ele não ia voltar para a cerimônia de posse. Aí, liguei (para Lula) e disse: 'tô mandando aí no aeroporto para pegar sua assinatura para a gente usar se você não puder voltar para a cerimônia de posse amanhã. Pois bem. Essa conversa apareceu gravada, grampeada. E aí é um fato grave. E vou explicar para vocês. Esse grampo na Presidência da República, ou com qualquer um de vocês, não é algo lícito. É ilícito. E é previsto como crime na legislação. Não é por ser eu, Dilma, é por eu ser presidenta. O dia que deixar de ser, isso vale para mim. Mas presidente do Brasil, e de qualquer país democrático do mundo, tem garantias constitucionais. Ele não pode ser grampeado, a não ser com autorização expressa da Suprema Corte do país. E em muitos lugares do mundo quem grampear um presidente vai preso, se não tiver autorização judicial da Suprema Corte. Vou dar um exemplo. Se grampeiam o presidente da República os Estados Unidos, veja o que acontece com quem grampear. É por isso que eu vou tomar todas as providências cabíveis".

Dilma apelou até para um exemplo fora do contexto: "Outro dia deram como exemplo o presidente Nixon. O que ele fazia? Ele grampeava todo mundo que entrava na sala dele e todos os telefones eram... telefonemas que recebiam, ia para lá, pá, grampeava. E aí? Não ficou assim não. A Suprema Corte dos Estados Unidos mandou entregar todos os grampos e proibiu ele de grampear. Era o presidente grampeando. Ele não pode grampear porque deu na cabeça dele. O exemplo é o seguinte: nem presidente da República pode grampear sem autorização, o que dizer de outras hierarquias. Esse exemplo do presidente Nixon não é válido. É de forma incorreta".

Fala sério! Dilma reclama à toa e sem razão. Ela foi alvo da captação fortuita. O alvo da escuta, legalizada, era Lula. Os dois foram pegos em diálogos que envergonhariam mocinhas de um prostíbulo. Linguagem chula e criminosa. Os nazicomunopetralhas reclamam do mérito da divulgação. No entanto, não questionam o demérito do vergonhoso teor das conversas. A intenção clara de Lula era obstruir a atuação do judiciário.

A ordem da petelândia é guerra total ao juiz Sérgio Moro. Na avenida Paulista, os manifestantes messiânicos ou profissionais (não importa) exibiram ontem um boneco do magistrado chamando-o de "Judas Iscariotis". A intenção da meliante militância era queimá-lo. Porém, faltou coragem para tanta barbárie antidemocrática.

Lula, que se diz "a única pessoa que pode incendiar o País, mas que não quer fazer como Nero", vem pra cima dos inimigos do que chama de "República de Curitiba". Moro é o alvo preferencial. Da mesma forma que Gilmar Mendes, que ontem concedeu a liminar impedindo a nomeação e posse de Lula. Restará a ele recorrer ao plenário do STF, para voltar a ser Presidentro de direito, embora sempre seja de fato, mantendo Dilma como refém.

Agora, ninguém duvida que ela será derrubada jurídica e politicamente. O impeachment, dentro de 40 a 60 dias, parece bem provável. Da mesma forma como é alta a possibilidade de nulidade da chapa reeleitoral Dilma-Temer. Assim, cresce a chance de uma nova eleição presidencial, ainda este ano. Três candidatos já estão na pista, com maiores chances: Ronaldo Caiado, Jair Bolsonaro e Marina Silva.

O golpe de Lula derrubou Dilma da bicicleta do Planalto. Se a Jararaca efetivamente perder a Casa Covil, pode ter certeza de que acabará na... (rima). Isto se Lula não for traído, antes, pela saúde. Ontem Lula foi visitar Marisa Letícia no Hospital Sírio e Libanês. Aproveitou para dar um pulinho no oitavo andar, onde fica o setor de oncologia. Câncer tem risco potencializado em momentos de alta tensão como os vividos por ele agora.

Lula, Roberto Marinho e Mercadante


No facebook do jornalista Antonio Oséas, uma imagem que a petelândia adora esquecer:

"PETISTAS TÊM PÉSSIMA MEMÓRIA (efeito colateral da falta de caráter?).
Esquecem que tanto Lula quanto Dilma, logo após eleitos, correram para dar entrevistas, não a nenhum blog, mas a Rede Globo. E não esqueço: em 1992, para sacanear Brizola, Lula pediu uma entrevista a Roberto Marinho. Acompanhado de Mercadante levou um chá de cadeira de três horas na rua Irineu Marinho, mas ganhou uma página na edição de domingo para criticar os CIEPs e tentar alavancar a candidatura a prefeita de Benedita da Silva. Roberto Marinho, que era tudo, menos bobo, abriu espaço e registrou o encontro em foto publicada na primeira página...

OAB pró-impeachment


A Ordem dos Advogados do Brasil aprovou ontem posição favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Foi aprovado parecer da OAB reconhecendo a prática de crimes de responsabilidade da presidente.

A entidade foi autora do pedido de impeachment que levou ao afastamento do presidente Fernando Collor em 1992.

Quatro crimes de responsabilidade

O conselheiro Erick Venâncio, do Acre, relator da propostA, apontou quatro atos que se configurariam como crimes de responsabilidade:

As pedaladas fiscais, as isenções fiscais concedidas para a organização da Copa do Mundo, a tentativa de atrapalhar as investigações denunciada pelo senador Delcídio Amaral e a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o ministério da Casa Civil como forma de mudar o foro em que ele é investigado.

No parecer, Venâncio foi bem claro:

"A instituição Presidência da República foi utilizada para atender a princípios outros que não os da República. Não estamos a condenar ninguém. Nós não temos competência constitucional para julgar. Quem julgará é a Câmara dos Deputados e o Senado".

Contradição...

O presidente da seccional do Rio de Janeiro da OAB, Felipe de Santa Cruz, fez críticas ao juiz Sérgio Moro e ao que chamou de “ditadura dos homens togados”.

"Não quero a ditadura dos homens togados, tenho nojo dela também. Podemos estar dando de comer ao monstro que vai engolir a cidadania brasileira dentro de alguns anos".

Apesar do discurso veemente contra o impeachment, a bancada do Rio de Janeiro encaminhou voto a favor da abertura do processo.

Quem não muda dança!



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 19 de Março de 2016.

Sigam-me

Paginas

INSCREVER-SE

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

DISSO VOCÊ SABIA ? - REVISTA

View my Flipboard Magazine.

ULTIMAS NOTÍCIAS

Saiba o que acontece no Brasil e no Mundo


Mensagens

A

A2